Relato de Parto / Parto hospitalar humanizado - O nascimento de Luna

Por Pamela Morais


"Estava planejado de ir para o hospital dia 24/02 (quinta feira) as 7:00hs já que neste dia eu estava de 41 semanas e precisaria induzir o parto, mas a ansiedade bateu forte na madrugada de quarta para quinta, tive uma crise e decidimos ir mais cedo para a maternidade.

Cheguei lá muito nervosa, disse que sabia que deveria chegar mais tarde mas eu não queria voltar pra casa.

Me internaram as 4hs da manhã e disseram que minha indução ia começar de manhã cedo.

Não dormi nada naquela noite, foi o resto de madrugada mais longo que já tive.

As 8hs da manhã a enfermeira obstétrica chegou para começar a indução, colocou o primeiro comprimido e se nada acontecesse, colocaria outro por volta de 12:00hs.

Quando a enfermeira chegou para o próximo comprimido minha bolsa tinha rompido parcialmente, decidimos então terminar de romper a bolsa artificialmente e ela viu que tinha mecônio (o primeiro cocô do bebê).

Sim, a Luna fez cocô dentro de mim. Mas eu tinha estudado muito sobre parto, estava bem informada e sabia que isso não era um problema.

Fizemos uma cardiotocografia e a bebê estava bem, então eu poderia continuar com o parto normal.

Antes das 14:00hs as contratações começaram. Eu já tinha sentido algumas contrações um dia antes (os famosos pródromos), mas essas eram beeem pior. Doía muito, mas elas não pegavam ritmo. Nessa hora eu estava com 5cm de dilatação, mas nada de contrações efetivas.

Até às 16:00hs fiquei no quarto com o Caique, e gente ficava embaixo do chuveiro na água quente para ajudar a aliviar as dores.

Caique o tempo inteiro do meu lado me dando forças.

Logo descemos para sala de parto, porque já estava com 6cm de dilatação e as contratações estavam ficando mais dolorosas.

Nessa hora eu já estava bem cansada, por não ter dormido a noite anterior e nem nas últimas 2 noites antes, já pensava que não ia aguentar mais.

Na sala de parto perguntei a enfermeira se eu poderia entrar na banheira, enquanto ela arrumava tudo e colocava para encher eu ficava no chuveiro. Já estava sentindo muita dor, mas as contratações ainda estavam sem ritmo.

Tive que tomar ocitocina, já que estava em processo de indução de parto e não tinha contrações efetivas. Foi aí que o trabalho de parto começou, as contratações começaram a vir reguladas e muito mais dolorosas.

Era umas 17:30hs quando a Milene @clareoufilmes chegou para fazer as fotos do parto, mas ela fez muito mais que só tirar fotos. Foi um anjo comigo, me deu forças e me encorajava a continuar o tempo todo.

Logo depois minha melhor amiga @daydina_lopes também chegou, cheia de carinho já veio rápido ficar do meu lado e do Caique.

Não me lembro exatamente em que momento a enfermeira obstétrica Ludimila, @um.afeto, chegou. Mas já chegou com um olhar tão acolhedor, cheio de carinho. Me deu amor a todo momento, me sustentou a cada contração.

Eu estava super acolhida naquele momento, Caique não sai de perto de mim hora nenhuma. Como foi importante ter ele lá me dando tanto carinho.

Quando foi umas 18:30hs ainda na banheira pedi analgesia, já não aguentava mais de dor e precisava muito descansar.

As 19:00hs o anestesista chegou e me deu um tempinho de alívio. Confesso que fiquei com muito medo de tomar a analgesia, senti que estava sendo fraca por não aguentar a dor do parto.

Nessa hora foi tão importante ter o apoio e carinho de todos que estavam lá.

Não consegui dormir, mas foi ótimo ter um tempo. As dores não cessaram, apenas ficaram mais suportáveis, mas foi essencial para dar aquele gás que eu precisava pra continuar.

Não sei por quanto tempo fiquei deitada descansando, nessa hora eu já estava fundo na partolandia.

As dores começaram a ficar um pouco mais forte, mas ainda estava com o restinho de efeito da analgesia.

Me levantei e sentei na banqueta. Caique sentado atrás de mim me dando apoio. Nessa hora tivemos uma conexão tão grande, mesmo sentido dor. Eu sentia a Luna vindo, tava feliz, me sentia amada, forte, era tudo perfeito.

Eu e Caique ficamos juntinhos um tempo, ele sustenta e apoiava meu corpo quando as contrações vinham.

Nessa hora eu ria, sentia o quão maluco e lindo aquele momento estava sendo. Logo logo eu ia ter um bebê, logo a Luna estaria no meu colo e era um mix de sentimentos.

Eu lembro de falar: "Amor, nós vamos ter um bebê". Na minha cabeça aquilo era maluco, era lindo e surreal saber que eu estava parindo minha filha.

Pedi para colocar a playlist que tinha preparado para aquele dia, mas só lembro que ficava pedindo pra trocar de música toda hora kkkkkkk

Não sei quanto tempo esse momento durou, na minha cabeça foi tudo bem rápido.

Quando eu percebi estava sentindo dor de fazer 💩, e já sabia o que aquilo significava. A Luna tava mais perto ainda de vir para meu colo.

O efeito da analgesia passou. Nessa hora eu jurava que não ia conseguir. Era uma dor absurda, a cada contração que passava eu tinha certeza que não ia aguentar a próxima.

Eu queria desisti, queria sair correndo. Me recusava a fazer mais força que o meu próprio corpo já fazia sozinho.

O meu mental travou nessa hora, eu não queria tentar outras posições, não queria fazer força. Recusava qualquer coisa que a Ludimila @um.afeto e a Milene @clareoufilmes me sugeriam a fazer.

Sim, fiquei bem difícil nessa hora. Eu só queria que a dor passasse a qualquer custo. Repetia o tempo inteiro que não conseguiria, eu achei mesmo que não ia aguentar.

Mesmo com todos me lembrando o quanto eu era forte, me acolhendo, eu sentia que não iria aguentar mais.

Além da dor que era insuportável, minha mente não ajudou muito. Passava um filme na minha cabeça. As contrações vinham e eu grita, urrava como uma selvagem. Meu corpo fazia força para expulsar a bebê mas minha mente não deixava me entregar aquela dor. Eu fiquei relutante, não queria sentir mais, queria que acabasse logo.

A Luna já tava na beiradinha, dava pra sentir a cabecinha dela. Eu pedia analgesia de novo, mesmo com todos me falando que não ia adiantar, que não daria nem tempo dela fazer efeito e que com a dor do círculo de fogo ela não adiantaria.

Mesmo assim eu insistir, queria que passasse. Pedia pelo amor de Deus para chamar o anestesista.

O anestesista veio, nem me lembro direito em que momento. Me lembro de já estar sentada na banqueta de novo, as dores não pararam nem diminuíram.

A analgesia provavelmente não teve tempo de fazer efeito, as dores ficavam cada vez mais forte até que sentir arder e me disseram que era a cabeça da minha filha chegando perto.

Dava pra ver com o espelho a cabecinha dela querendo sair. Eu não queria olhar de jeito nenhum no espelho, estava com muito medo. Mas com muita insistência de todos eu olhei, e ainda bem que insistiram. Foi lindo ver, aquela imagem não sai da minha cabeça, e me deu uma força.

Quando a cabecinha dela só apontou ardeu muito, mas muito mesmo e eu pedi que a próxima contração viesse logo pra ela sair.

Aí a contração veio e eu tirei forças sei lá de onde, pela primeira vez eu fiz uma real força para ajudar ela a sair.

Caique atrás de mim me dando apoio e minha melhor amiga do meu lado segurando minha mão.

Dei o último grito e fiz uma força que nem sabia que tinha, e a Luna nasceu, de uma vez só e logo veio pro meu colo.

Que loucura foi esse momento, eu nem acreditei que ela tava ali, nos meus braços. Ela era linda, toda rosinha. Parou de chorar assim que ouviu a voz do Caique.

Eu só sabia falar que era minha filha, que eu tinha um bebê. Logo veio o sonho na minha cabeça, eu tinha certeza que era aquele bebê que me foi entregue naquele sonho a 3 anos atrás. E um mix de sentimentos me invadia, mas como eu estava feliz.

Eu tinha conseguido, pari uma menina linda e enorme. Nasceu com 51cm e 3,615kg, de parto normal e super humanizado.

Eu consegui, com todo o meu medo e ansiedade, mas eu consegui!!!

No final de tudo uma felicidade tomou conta de mim ao mesmo tempo que me sentia aliviada e confusa.

Parecia que um filme tinha acabado de acontecer e eu estava muito grata a todos que me acolheram lá.

Grata a @clareoufilmes, que não foi só uma fotógrafa, foi realmente um anjo. Me encorajou a todo momento, cuidou de mim com tanto carinho. Lembro de todas as suas palavras de amor dizendo que eu ia conseguir sim, sempre trazia óleos essenciais até mim quando eu precisava. Só sinto um amor enorme por você e por tudo que fez por mim. Foi incrível ter você lá comigo ❤️

Grata a @um.afeto, que foi muito mais que uma EO comigo, foi apoio quando precisei, foi colo quando as contratações vinham, foi carinho. Me encorajou a continuar sempre. Lembro do quão confortável era seu colo, seus abraços. Tive muita sorte de ter você comigo e serei pra sempre grata ❤️

Grata a @daydina_lopes, você foi mais que uma amiga. Nem tínhamos planejado você nesse dia comigo, e mesmo assim você largou tudo e ficou de prontidão para ir pra maternidade quando eu precisasse. Foi tanto amor que você me deu, estava lá do meu lado me dando carinho, me fez massagem quando eu pedi, deve ter cansado os braços de tanto abanar o leque kkkkkk Lembro de você sempre me incentivando a ficar forte. Como foi importante ter você comigo amiga ❤️

E como sou grata a meu amor @kaique.mende, ah tenho nem como descrever o quanto você foi incrível, quando você me sustentou, não me deixou desistir. Me deu carinho o tempo inteiro. Sempre me dizia que eu ia conseguir, que eu era forte. Lembro do nosso momento de conexão, quanto carinho você me deu. Lembro dos olhares de acolhimento, lembro de estar sempre disposto a fazer tudo que eu pedia de prontidão, o tanto que você se esforçou para me deixar o mais confortável possível dês da primeira hora que chegamos na maternidade. Ter esse momento, parir nossa filha com você do lado foi mágico, foi puro amor, foi realmente lindo apesar de toda a dor. Te amo muito, como sou grata por ter você."

❤️


Assista aqui ao vídeo da chegada de Luna.

0 visualização0 comentário