Relato de Parto / Parto hospitalar humanizado - O nascimento de Maria

Atualizado: 19 de jul.

Por Mariana Elisa Jorge


"É olhando para Maria e a admirando, após um mês da sua chegada, que escrevo o meu relato de parto. Confesso que o tempo tem sido curto, mas o verdadeiro motivo pela demora em relatar o momento mais especial da minha vida é a real associação de tudo o que aconteceu.

Eu afirmo, com toda a certeza, que tive os melhores ao meu lado! Primeiramente a Camilla

Dutra @camilladutradoula , minha doula maravilhosa, que me proporcionou a educação perinatal, me deu todo o suporte físico e emocional, me apresentou a humanização do parto, do quão é importante a mulher ser a protagonista da sua história e me apoiou desde o início da gestação até o pós-parto! Sim! Ainda conto com ela! Camilla fez a conexão! Ela me apresentou as doutoras da Amag.o @amag.o . Primeiramente a Dra. Gabi Iani! Nossa! Fiquei encantada com ela na nossa primeira consulta e ali tive a certeza e segurança de que eu não estava ficando louca em deixar o plano de saúde para investir numa assistência em que eu acreditava ser a melhor para mim, para nós!

E no meio do caminho conheci a Dra. Fernanda Mitre e a Dra. Caroline Reis. Um trio

SENSACIONAL! Camilla e Dra. Gabi nos indicaram a Equipe Bom Parto @equipebomparto e fui acolhida com muito carinho pelo Waltinho! Fechou!

Eu havia escolhido a minha equipe!

Na verdade acredito que nos escolhemos. Maktub! Estava escrito! 🙏🏻

Minha gestação foi muito tranquila e tive o apoio total do meu marido Igor! Fizemos o melhor que pudemos e tudo o que estava ao nosso alcance, mesmo diante de uma pandemia e de uma crise mundial. A gratidão esteve presente todos os dias!

Já no final da gestação, estava tudo armado! Assim que Maria desse o sinal de querer vir ao mundo e eu entrasse em trabalho de parto, Camilla viria para minha casa junto com a Equipe Bom Parto, e ficariam comigo até o momento certo de irmos para a Neocenter. Então, nas últimas semanas, deixamos tudo programado: malas prontas no porta-malas, cadeirinha instalada no carro, geladeira cheia para receber o pessoal, flores para a chegada da Maria. Eu queria que tudo acontecesse da melhor forma possível. Eu fazia minhas unhas, me depilava, fazia as sobrancelhas todas as semanas, para que, quando a Maria chegasse, eu estivesse plena e tranquila, inclusive com a minha vaidade. A geladeira esvaziava, as flores murchavam, as unhas ficavam feias, e nada da Maria dar sinal. A ansiedade começava a tomar conta.

Inúmeras foram as vezes que, ao me levantar à noite para ir ao banheiro, peguei o Igor no flagra revisando se a cama estava molhada, se minha bolsa havia estourado. Nada! Quantas manhãs eu acordei, abri os olhos, e me dei conta de que nada havia acontecido e que mais um dia estava se iniciando da mesma forma. Tudo igual!

Maria estava bem! O barrigão crescendo e tudo sendo muito bem monitorado. Como eu estava passando muito bem, não tinha nenhum incômodo, também não tinha tanta pressa! Eu estava dentro do prazo pro parto espontâneo e curtindo muito a gravidez!

O que me incomodava eram as pessoas dizendo que estava passando da hora! Será que estava mesmo?

Chegamos na 40ª semana! Eu havia tido algumas pequenas contrações de treinamento e só!

Maria mexia, chutava, e só! Eu já estava tomando alguns chás, fazendo caminhadas, exercícios na bola de pilates, comendo seis tâmaras por dia, tomando óleo de prímula, tudo para ajudar a ativar o trabalho de parto. E nenhum sinal da menina. Danada!

Foi quando eu me dei conta que eu entraria para a 41ª semana e eu teria que tomar uma

decisão: induzir o parto ou aguardar mais uma semana? Escutei da minha equipe os pontos positivos e negativos de ambas as alternativas. Eu confiava neles! E nunca confiei tanto em meu coração. Ele quem decidiu: vamos agendar a indução. Maria gostou tanto do forninho que não deu nenhum sinal de querer sair de lá! Ela precisaria de um estímulo para dar o ar da graça! Por mais que pareça que tudo tinha saído do meu controle e que estava iniciando algo, naquele momento, que eu não havia planejado, eu estava tranquila. Era o melhor a se fazer.

E no dia 12/11/2020, por volta das 11h da manhã, internamos na Neocenter. Dra. Gabi e Dra.

Fernanda nos receberam com lindos sorrisos e com uma energia indescritível. Eu estava

tranquila e confiante. Logo chegou a Maria Bia, da Equipe Bom Parto. Foi amor à primeira vista!

Nós estávamos acompanhados por profissionais sensacionais, mas com um diferencial:

tínhamos com a gente seres humanos especiais e diferenciados! Bia começou a nos perguntar sobre a nossa história, como eu e Igor nos conhecemos e ali comecei a viajar na minha vida, nas nossas vidas. Ah! Eu não conhecia a Bia, pois não tive a consulta pré-parto com a Equipe Bom Parto. Optei por uma consulta pós-parto, já que eu estava fazendo o pré-natal com as meninas da A.mago. Foi providencial porque naquele momento eu me senti tão feliz e grata por minha vida, por meu casamento e por nossa filha que estava a caminho. Dra. Gabi nos explicou mais uma vez sobre o processo de indução e inseriu o comprimido de Misoprostol. Era o ponto de partida! Vamo que vamo! Eu me sentia literalmente pronta, como diz a Dra. Fernanda! Foi um dia desafiador, que rendeu até a madrugada! No final da tarde chegaram a Camilla doula e a Milene Nunes, da Clareou Filmes. Fechou! Time completo! Só faltava a Maria!

Muitas contrações! Dores? Só dor de propósito, conforme aprendi com a Camilla! Tantas coisas passavam pela minha cabeça! Confesso que algumas vezes pensei em desistir. Pensava: para que fui inventar isso, quero ir logo para a cesariana, não vou querer ter mais filhos etc. E ficava martelando na minha cabeça o que uma amiga disse: “peça analgesia, não sofra”. Aí eu pensava: será que estou no meu limite? Qual é o meu limite? E logo tocava alguma música da minha playlist que me animava e me fazia voltar ao presente! Eu me reconectava com meu eu e me enchia de forças para continuar! Igor sempre ao meu lado me dando forças e dizendo: “está tudo bem! Você está de parabéns! ”

Eu cantava entre uma contração e outra! Eu sorria, chorava! Meu Deus! Parecia um sonho

aquele momento!

Apesar das dores, a gratidão transbordava em meu peito! E quando a equipe me perguntava como eu estava, eu não tinha outra coisa para responder: “eu estou muito feliz!”

As horas passavam e eu não tinha noção do tempo! Toda equipe estava empenhada à chegada da Maria! Cada qual com seu papel. E quando perguntavam se eu queria fazer algo ou me davam alternativas, eu dizia: “eu confio em vocês! Façam o que acharem melhor. ” E assim foi feito.

Muitas técnicas, monitoramento, cuidado, segurança e felicidade! Eu me senti muito acolhida por todos! E depois dos comprimidos, o rompimento artificial da bolsa. A partir dali o meu trabalho de parto fluiu naturalmente. Eu curti muito cada momento. Bola, chuveiro, spinning babies, banheira, aromaterapia, massagens, rebozo. Carinho do Igor e ocitocina transbordando.

As contrações ficaram mais fortes. E foi na banqueta de parto que eu me senti mais confortável. Foi ali, com o Igor me abraçando por trás e a Dra. Gabi em minha frente, como contrapeso, e toda equipe torcendo, sorrindo, me instruindo. Maria estava a caminho! E foi ao som de Maria Maria, de Milton Nascimento, que ela deu o ar da graça. Maria chegou para nossos braços como num lindo filme. E por falar em filme, ainda bem que contratamos a Clareou para registrar esse momento louco e sublime das nossas vidas.

E foi numa sexta-feira 13! Em 13/11/2020, à 1h52, que eu recebi o mais belo e abençoado

presente! Maria nasceu com 3.386 kg, medindo 48 cm. Linda de viver, a cara do pai! Só carreguei a bichinha! Mas isso é o de menos! Ela chegou saudável como eu sempre pedi em minhas orações!

É claro que aconteceram muitas outras coisas na suíte de parto, que por sinal estava linda, toda enfeitada com luzes, fotos, frases positivas e com nossos santos de devoção. Afinal, aquele momento era uma festa! Uma festa de amor e alegria! O que mais rolou por ali? O nascimento e impressão da placenta, a hora de ouro, o pele a pele da Maria com o pai, que cortou o cordão umbilical! Tudo tudo tudo como desejamos!

Esse é o meu relato! O que eu vi, o que eu senti, o que me marcou e o que vivi! O que nós

vivemos! A partir daquele momento tudo seria diferente! Nossa família estava crescendo! Nossa tão esperada Maria estava em nossos braços como um presente de Deus!

Gratidão a toda equipe: Amag.o, Equipe Bom Parto, Camilla Dutra Doula, Clareou Filmes."


Assista aqui ao vídeo da chegada de Maria.



0 visualização0 comentário